O Primo

Quem conta: rosi
Conta mais: sobre nunca esquecer o que nos amam de volta.

Viajei e revi meus familiares, incluindo um primo que, de imediato, me conectei e nossa sintonia estremeceu.

Vivemos um romance um tanto proibido, o mais inesquecível de toda minha vida. Retornei de viagem e a saudade foi tamanha e recíproca. Logo veio a decisão sobre como manter isso, e se valia a pena acreditarmos que daria certo, mesmo à distância.

A resposta de tantas perguntas não dependia só do nosso querer, mas também da aprovação da família. Para alguns foi algo irrelevante, para outros pareceu absurdo. Sendo assim, a opinião de uma única pessoa poderia ser a mais firme de todas: a da mãe dele, minha tia.

Eu e ele acreditamos que, pra algo dar certo, os pais devem aprovar e liberar. Logo eu e ele passando por isso, nem adolescentes somos mais, mas a importância da palavra da mãe é tão importante quanto a de Deus nesse cenário.

Enfim, essa história não foi escrita pra ter um final feliz como imaginamos, mas sim um aprendizado pra cada um. Talvez a obediência seja bem mais valiosa que todos os sentimentos nutridos dentro de nós.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s